Carol

Como encontrei a paz com a balança

Cotidiano 5 Comments

garfield-balanca0001

Pelo que lembro não fui uma criança gordinha, meu problema com a balança começou na pré-adolescência quando comecei a “ganhar corpo” e ficar “cheinha”. Hoje, olhando fotos da época nem acho que estava acima do peso, mas comparando com as minhas amigas (que eram minha referência na época) sempre estava gorda.

Eu gosto muito de ler, sempre gostei, e na falta de internet meu contato com as dietas foi através das revistas. Rapidamente entendi o conceito das calorias e do que eu teoricamente tinha que fazer para emagrecer: comer menos e me movimentar mais. Como nunca fui muito esportista e meu passatempo (ler) nunca exigiu movimentação meu foco sempre foi na calorias ingeridas. Veja bem, eu me movimentava e sempre estava tentando fazer alguma coisa (natação, jazz, academia, taekwondo), apenas nunca fui dedicada a essas coisas.

Também não tive uma alimentação ruim em casa, meu pai sempre foi contra biscoitos, danoninhos, salgadinhos e afins. Então era raro ter essas coisas em casa, eu comia “besteira” na rua quando saia para passear e na escola quando ainda não estava “a louca das dietas”. Meu pai é diabético e por isso coisas doces sempre foram evitadas dentro de casa e isso aliado aos meus objetivos fizeram com que na minha casa durante muitos anos fosse tudo desnatado, light, integral, diet, zero…

E assim passei toda minha adolescência lutando para manter um peso que eu não queria aceitar. Na entrada da faculdade comecei a namorar e aí que a coisa toda descontrolou, engordei 15 quilos e quando me dei conta começou o desespero das dietas para emagrecer. Perdia alguns quilos e depois ganhava novamente, tomava remédio e a cada vez perdia menos e ganhava tudo mais uma vez. Vivia num ciclo de “dieta de fome” e “pé-na-jaca”. Sentia constantes dores de cabeça de fome e não entendia como eu sentia fome 2h depois de almoçar e 30min depois de lanchar uma barrinha de cereal. Comer de 3h em 3h horas não adiantava, eu sentia fome sempre!

Eu gosto de cozinhar e gosto de comer. Como quando estou triste, como quando estou feliz. Gosto de mesa farta e família reunida.

Minha história com a Paleo/LCHF começou em janeiro de 2013. Eu e meu amigo Reiner vínhamos de mais uma dieta de contagem de calorias e, como sempre, a coisa toda não tava funcionando. Ele acabou comprando o livro do Dukan e resolveu que ia tentar fazer. Eu, como nunca me imaginei sem comer carboidrato, fiquei cética e resolvi esperar ele testar. Depois de uma semana resolvi encarar por pelo menos 5 dias. Percebi então que era possível ficar um dia inteiro sem carboidratos, mas a fraqueza me incomodava, além do fato de no futuro ter que reintroduzir tudo novamente na alimentação.

Começamos a pesquisar sobre dietas de baixo carboidratos e caímos no blog do Dr Souto. A partir daí tudo mudou.dieta-paleolitica

Eu consegui emagrecer seguindo uma dieta Paleo / LCHF, mesmo dando escapulidas no fim de semana e não fazendo exercícios físicos regulares. Mas o que me convenceu mesmo foi toda a fundamentação científica por trás dos conceitos paleo/lowcarb e os benefícios que percebi na minha saúde. Adoro ler e estudar o assunto e me tornei defensora da comida de verdade.

Minhas dores de cabeça constantes sumiram, minha fome e falta de concentração no período da tarde também. Minha renite alérgica melhorou muito e minhas amígdalas estão quietinhas desde então. Foi bem drástico o impacto porque nos dois anos anteriores (2011/2012) eu vivi doente, até tive a vesícula retirada por conta de uma crise (hoje entendo que provavelmente a pedra foi desenvolvida pelos anos de low fat). Enfim, me sinto muito melhor hoje em dia e isso não tem preço.

Mas então está tudo perfeito?  Claro que não.

Eu já disse que gosto de comer e cozinhar e de como isso tem uma ligação afetiva comigo. Então, eu nunca consigo ser estrita na alimentação e ao passar por momentos turbulento acabo descontando na comida. Foi assim no fim de 2013 / início de 2014, recuperei parte dos quilos perdidos e passei o ano de 2014 tentando estabilizar o peso e a alimentação.

Eu sei como devo idealmente me alimentar, mas também sei que o ótimo é inimigo do bom (né, Dr. Souto?). Então, enquanto não chego na plenitude alimentar, sei que o 80/20 funciona para mim desde que feito corretamente. O peso já voltou a cair e agora meu foco está nos exercícios e na qualidade da alimentação. Afinal, o importante mesmo é saúde e bem-estar!

Related Posts

5 Comments

  • Luciana on 18 de agosto de 2015

    Ei Carol!
    Minha luta era ao contrário da sua quando eu era adolescente. Eu parecia uma tábua. Não tinha nada de nada e fazia qualquer coisa pra engordar e nada adianta.
    Mas foi só casar e acabei engordando. Eu também amo demais comer pra fazer essas dietas malucas. Além disso, descobri que academia não é pra mim. Ainda tenho que encontrar minha atividade física do <3.
    Cortar carboidrato é f*** mesmo. Também já deu uma olhada da Dukan, mas não é pra mim.

    O negócio é equilíbrio, né?

    Bjins

    • Author
      Carol on 18 de agosto de 2015

      Comer é bom demais, né Lú? hahaha
      Eu tentei a Dukan antes da lowcarb/ paleo, mas é inviável a longo prazo. Se alimentar sem carboidratos E sem gordura é impossível para o organismo. Apesar das minhas escapadas eu me dou muito bem com a paleo / lowcarb.
      Bjocas

  • Camila on 13 de agosto de 2015

    Amei o nome do blog e tenho uma amiga que eu só chamo de Kerol kkk
    Vem cá? Tá falando da Carol ou da Camila?!
    A única diferença na nossa história foi com eu engordei da primeira vez.
    Eu sempre fui palito e jogava todos os esportes possíveis na escola, mas no ano do pré-vestibular, qndo parei total com os esportes, foi que eu engordei.
    Sempre comi bem comida de verdade, mas andava besteiras!
    Emagreci logo no início da, facul porque teve uma greve gigante, e fui me mantendo normal depois.
    Qndo comecei a trabalhar que o problema voltou. Ou seja, fiz dieta de fome dos 23 aos 30 anos.
    Aos 30 tive uns problemas no trabalho e me larguei. Mesmo conhecendo a Paleo no meio do caminho, ainda não voltei ao peso e ao corpo que eu tinha.
    Recomecei focada na LCHF agora em maio e já se foram 4kg. Mas ainda preciso perder mais 5kg.
    Tá bem mais lento q qndo eu fiz vigilantes do peso. Mas está muito mais fácil, saboroso e saudável hehe
    Bjo
    Ps.: Agora vou lá ler o resto 😉

    • Author
      Carol on 13 de agosto de 2015

      Hahaha!
      Sabe que quando comecei a ler seus post senti uma “sintonia”? 🙂
      Quanto ao peso, eu percebi claramente que depois da primeira vez fica mais difícil perder novamente, mesmo com lowcarb. Talvez seja pq a mudança de alimentação não é mais tão brusca ou mesmo pq o organismo safado se acomoda… Vai saber!

      • Camila on 13 de agosto de 2015

        Meu nutri falou: Mas Camila você já come direito!
        E sabe o que está fazendo o meu peso despencar? Comer mais!!!!
        Eu me acostumei a passar fome e mesmo em lowcarb eu comia muito pouco. As porções dele são muito maiores do que as que eu comeria sozinha.
        Só como muito besteira, né?! Claro!
        E tbm eu ficava hrs sem comer. Por mais que não tenhamos a neutra das 3h, não tinha necessidade de ficar 7h sem comer. Ainda mais comendo tão pouco.
        Só nos ajustes 😉
        Bjo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquise aqui

Você também me encontra no…

Hoje é…

Estou lendo…

Cinema: Último filme visto

Arquivo

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: